Increase Size Decrease Size Reset font to default

Missão

Promover a captação, mobilização e alocação dos recursos financeiros, de forma eficiente, eficaz e transparente, para satisfazer as necessidades de financiamento dos agentes económicos, promovendo o desenvolvimento sustentável da economia.

Visão

Ser referência na oferta de oportunidades de conversão da poupança em investimento produtivo, contribuindo para o crescimento da economia e para a inclusão social e financeira.

Valores

• Transparência, credibilidade e equidade; • Conhecimento, competência e ética profissional; • Iniciativa, Inovação e Modernização; • Parceria e Colaboração Institucional; • Liderança e valorização Pessoal; • Patriotismo e responsabilidade social.

   

Sessão de Bolsa de 22 de Maio de 2017

Publicações de Imprensa
Bolsa de Valores de Moçambique Busca Parcerias com o Brasil PDF Imprimir E-mail

Enfatizou que a BVM tem a meta de admitir mais três empresas em 2017 e incrementar a capitalização bolsista e ter mais títulos registados na Central de Valores Mobiliários.

Por seu turno, o Presidente da Bolsa de Valores de Moçambique, Salim Valá, assumiu que uma parceria entre as duas Bolsas trará mais ganhos para Moçambique e existem já contactos com a Bolsa de São Paulo por forma a obter apoio do Brasil na implementação do programa de educação financeira, na melhoria da base tecnológica da Bolsa e na criação do índice da BVM.

Referiu ainda, durante a sua intervenção, que toda a economia robusta é sustentada por um Mercado de Capitais forte e pujante e fez saber que Moçambique é o maior beneficiário da cooperação brasileira em todo o mundo e esta disponível para apoiar a BVM a desenvolver-se.

Durante o encontro, o Embaixador Brasileiro em Moçambique, reconheceu o esforço que a BVM tem estado a empreender no sentido de captar mais empresas para a Bolsa por forma a tornar mais dinâmico o Mercado Bolsista em Moçambique.

A visita visou ampliar o conhecimento do Embaixador Brasileiro sobre Mercado de Capitais e Bolsa de Valores, por forma a abraçar programas colaborativos no domínio da capacitação institucional com destaque para a área de formação, troca de experiências, suporte tecnológico, literacia financeira e boas práticas de gestão e regulamentação.

O Embaixador do Brasil, Rodrigo Baena Soares efetuou uma visita à Bolsa de Valores de Moçambique, nesta quarta feira, dia 17 de Maio corrente, no âmbito da promoção de parcerias visando melhorar o desempenho do Mercado Bolsista.


Fotos do Evento

 
Bolsa de Valores admite à cotação mais uma Empresa PDF Imprimir E-mail

No passado dia 4 de Maio, a Bolsa de Valores anunciou ao público a admissão à cotação da MATAMA -  Matadouro da Manhiça, SA, no Mercado de Cotações Oficiais da Bolsa. O acto teve lugar no Hotel Polana, em Maputo, e contou com a presença de Operadores de Bolsa, Empresas Públicas, Empresas cotadas e em processo de admissão à cotação, Parceiros da BVM, entre outros.

 

A MATAMA foi criada em Março de 2012, tendo por principal actividade o abate, processamento e a venda de carne bovina, operando na zona sul do Território Nacional, com a sua sede estabelecida na Cidade da Matola.

 

A operação, colocou no mercado 1.800.000 acções com valor nominal unitário de 250 MT que perfazem um capital social de 450.000.000 MT. Refira-se que, com a entrada da MATAMA no Mercado de Cotações Oficiais ocorrido a 24 de Abril de 2017, a Bolsa de Valores de Moçambique passa a contar com mais um título no segmento accionista, passando de 4 para 5 títulos.

Importa ressalvar que com a admissão à cotação no mercado bolsista, a MATAMA ganha maior visibilidade da empresa no mercado nacional, maior apetência por parte dos investidores nacionais e estrangeiros, maior potencial de valorização da empresa, o público tem mais uma alternativa para a aplicação das suas poupanças e a empresa tem acesso a mais alternativas de financiamento.

 

Durante a ocasião o Presidente do Conselho de Administração da MATAMA, Boavida Mutombene, referiu que a admissão à cotação surgiu da necessidade de se complementar os investimentos necessários para a cadeia de valor da empresa. “Trata-se de um projecto de grande dimensão que irá absorver cerca de 60 milhões de dólares nos próximos anos. Até ao momento investimos cerca de 6 milhões de dólares e temos a exclusividade no raio de 200 quilómetros, daí estarmos abertos a investidores nacionais e estrangeiros através da BVM”. Boavida Mutombene disse ainda que recomenda que outras empresas sigam o exemplo da MATAMA em cotar-se na Bolsa de Valores de Moçambique.

Por seu turno, Salim Valá, Presidente do Conselho de Administração da Bolsa de Valores de Moçambique, explicou que a operação do Matadouro é o resultado de um dos objectivos prioritários na estratégia da instituição, a captação de mais empresas para o mercado bolsista, tendo referido que até ao final do primeiro trimestre haviam sido visitadas cerca de 150 empresas. Sublinhou ainda que a BVM tem como meta captar mais 3 empresas ainda este ano, na expectativa de que uma das empresas seja PME.

Fotos do Evento

 
BVM conquista Empresariado de Cabo Delgado PDF Imprimir E-mail

O Presidente do Conselho de Administração da BVM, Salim Valá, visitou à Província de Cabo Delgado, entre 16 a 21 de Abril, tendo-se feito acompanhar de uma equipa técnica multidisciplinar da BVM.

No âmbito do Programa de Educação Financeira da BVM, alinhada com a Estratégia Nacional de Inclusão Financeira 2016-2022, foram desenvolvidas diversas acções e iniciativas (apresentações, palestras, visitas) com o objectivo de dar a conhecer aos agentes económicos locais as vantagens e benefícios do mercado de capitais e da bolsa de valores, procurando promover a adesão do sector empresarial ao mercado bolsista.

O programa da visita organizado pelo Governo da Província de Cabo Delgado, privilegiou a interação com os mais relevantes intervenientes - Governo Provincial, Administradores Distritais, Empresários, Comunidade Académica, Comunidade Estudantil -, acompanhadas de visitas a projectos de interesse económico, nos Distritos de Balama, Montepuez e Mecúfi.

No âmbito do Programa da Visita da BVM à Província de Cabo Delgado, foram realizadas várias iniciativas com os Empresários (workshop para divulgação da Bolsa, onde se abordaram os procedimentos de admissão à cotação, vantagens de investir no mercado bolsista e alternativas de financiamento), com a Comunidade Académica (Palestra na Universidade Católica de Moçambique) e com a Comunidade Estudantil (Instituto Comercial e Industrial de Pemba), que servirá para divulgar o Mercado de Capitais e a Bolsa de Valores.

Durante o contacto com a Província, a BVM instou os membros do Governo Provincial a encorajarem os Empresários locais a aderirem à Bolsa de Valores, como forma de dinamizar a economia da Província, dar a conhecer o potencial da região, dar maior visibilidade as empresas e divulgar  melhor as iniciativas do sector empresarial.

Fotos do Evento

 
BVM e OCAM Cooperam para a Melhoria do Ambiente de Negócios e Desenvolvimento do Mercado de Capitais PDF Imprimir E-mail

A Bolsa de Valores de Moçambique (BVM) e a Ordem dos Contabilistas e Auditores de Moçambique (OCAM) assinaram recentemente, um Memorando de Entendimento que visa a colaboração conjunta das duas instituição em iniciativas e projectos de interesse comum no âmbito do papel da contabilidade e auditoria na gestão empresarial e no funcionamento do mercado bolsista.

A parceria entre a BVM e a OCAM tem em vista contribuir para a melhoria contínua do ambiente de negócios e de competitividade das empresas e da economia nacional, através da provisão de informação financeira e de mercado verificável e previsível, promovendo assim as boas práticas de gestão corporativa nas empresas moçambicanas e a cultura do rigor e transparência nas contas.

Esta colaboração inter-institucional irá privilegiar, além da troca de informação regular, a formação das empresas, em particular as PME’s, em matérias ligadas aos Sistemas Financeiros, Gestão Financeira, Fiscalidade, Ética de Negócios, Auditoria e Contabilidade, de modo que as empresas satisfaçam um dos requisitos para a admissão à cotação na Bolsa de Valores, que é a contabilidade organizada e ter contas auditadas.

Falando momentos após a assinatura do documento, o Presidente da BVM, Salim Valá, disse que o memorando ora assinado vai propiciar o desenvolvimento do Mercado de Capitais e incremento das PME’s que estão melhor calibradas a ater um sistema de gestão financeira transparente e escrutinadas pelo público. “Este momento simboliza aquilo que todos almejamos para o bem das PME’s no País, pois permitirá maior transparência, credibilidade e previsibilidade por forma a dinamizar o sistema financeiro e a economia nacional.

Salim Valá garantiu que, a Instituição vai intensificar as acções de disseminação do Mercado de Capitais e do uso da Bolsa, como meio alternativo de financiamento das empresas em particular as PME’s, para viabilizar a sua adesão à BVM.

De referir que com este acordo, as duas instituições estarão melhor apetrechadas para cumprirem o seu mandato, procurando intervir no sentido de melhorar a gestão das empresas e a sua transparência, e permitindo que elas possam beneficiar de mecanismos de financiamento apropriadas através da BVM e possam incrementar a sua visibilidade, transparência e sustentabilidade empresarial.

Fotos do Evento

 
BVM Promove Mesa Redonda PDF Imprimir E-mail

Subordinada ao tema o “O investimento do Chile no Exterior: O caso do Brasil e o Potencial de Investimento do Chile em Moçambique” no dia 2 de Março, a Bolsa de Valores de Moçambique (BVM) promoveu uma mesa redonda que teve como objectivo discutir as possibilidades de cooperação sul-sul na área de desenvolvimento económico e alternativa de financiamento.

 

António Sala Alvear, orador principal da mesa, é Engenheiro Eletrónico e Economista, Professor Universitário, Especialista em Comércio Internacional e actual Cônsul Honorário de Moçambique no Chile. O evento contou com a presença dos representantes do Banco de Moçambique, Banco Nacional de Investimento, Gazeda, CPI, Fundo da Paz e Reconciliação Nacional, Associação Moçambicana de Bancos (AMB), CTA, USAID,SPEED+, entre outros.

 

Durante o encontro, o palestrante defendeu que Moçambique possui condições favoráveis para atrair investimento Chileno, sobretudo nos sectores da agricultura, mineração energia, indústria transformadora de madeira dimensionada para construção, pescas e aquacultura. Ele considerou ser este o momento ideal para Moçambique atrair investimento chinelo, uma vez que o Brasil, principal receptor deste investimento, atravessa um momento conturbado.

 

António Sala, reiterou ainda que a Bolsa do Chile está pré-disposta a criar uma parceria com a BVM para transmitir a sua experiência no âmbito da dinamização do Mercado Bolsista, uma vez que a Bolsa do Chile foi criada há mais de 100 anos, e apresenta um elevado nível de capitalização bolsista e liquidez, diversidade de produtos e desenvolvimento tecnológico.

Fotos do Evento

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próximo > Fim >>

Pagina 1 de 7
Bolsa de Valores de Moçambique © Todos os Direitos Reservados